Voltar ao Início

Você está em:

Bolsonaro confirma que servidor não terá reajuste neste ano e agora fala em dobrar vale-alimentação

Governo estudava conceder aumento de 5% ao funcionalismo, mas, segundo presidente, orçamento apertado impediu
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

O presidente Jair Bolsonaro confirmou nesta segunda-feira (13) que o governo federal não reajustará os salários de servidores neste ano, informação antecipada no último dia 9 pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

Segundo Bolsonaro, está em estudo a possibilidade de se dobrar o valor do auxílio-alimentação de todas as categorias do funcionalismo ainda neste ano.
"A ideia minha era dar pelo menos 5% para servidor, cortando de ministérios", afirmou Bolsonaro durante conversa com jornalistas em frente ao Palácio do Planalto.
"Nós estamos tentando agora — tem que vencer a legislação eleitoral — dobrar, no mínimo, o valor do auxílio-alimentação", complementou.

Segundo o presidente afirmou, o reajuste para os servidores e a reestruturação de carreiras no funcionalismo federal serão incluídas no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) do ano que vem. O projeto é a proposta do governo para o orçamento do governo federal.

Guedes
Na quinta-feira (9), o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o governo "não conseguiu" dar reajuste aos servidores federais neste ano. O prazo para uma definição vai até o final deste mês.
"O governo federal não conseguiu dar aumento de salários, mas reduziu impostos para 200 milhões de brasileiros, ao invés de ajudar só o funcionalismo, que ajudou nessa guerra. Logo ali na frente, vai ter aumento para todo mundo, vamos fazer reforma administrativa. Mas agora está em guerra também", declarou Guedes na ocasião.

Desde o início de 2022, ano eleitoral, o governo federal tenta encontrar uma maneira para dar reajuste aos servidores públicos, mas tem esbarrado no aperto das contas públicas.

O presidente Jair Bolsonaro já havia falado sobre o assunto na terça-feira (7), mas sem ser taxativo. Na ocasião, afirmou que, "pelo que tudo indica", não haverá reajuste para servidores públicos neste ano.

O governo federal vinha acenando com um aumento de 5% para todas as categorias do Executivo Federal, ao custo de R$ 6,3 bilhões. Nesta semana, porém, o Ministério da Economia anunciou que desistiu de manter no Orçamento a reserva de R$ 1,74 bilhão para pagar uma parte do reajuste dos servidores do Executivo Federal.

O aumento de 5% neste ano, antes sinalizado pelo governo federal, vinha sendo considerado "insuficiente" por representantes de categorias de funcionários públicos.

Posts Relacionados

STF dá 10 dias para governo de SP explicar projeto das escolas cívico-militares

STF dá 10 dias para governo de SP explicar projeto das escolas cívico-militares

Projeto foi sancionado no final de abril por Tarcísio depois ser aprovado na Alesp sob forte protesto de estudantes

STF rejeita pedido para proibir parentes na chefia do Legislativo e Executivo ao mesmo tempo

STF rejeita pedido para proibir parentes na chefia do Legislativo e Executivo ao mesmo tempo

Cármen Lúcia defendeu que cabe ao Legislativo impor restrições a parentes chefiando cargos no mesmo estado

Lula diz que ‘muita gente fica com raiva’ diante de medidas de proteção ao meio ambiente

Lula diz que ‘muita gente fica com raiva’ diante de medidas de proteção ao meio ambiente

Ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, anunciou uma série de ações do governo para a área ambiental

Lula encontra Zoran Milanović e reafirma meta de desmatamento zero na Amazônia

Lula encontra Zoran Milanović e reafirma meta de desmatamento zero na Amazônia

Os líderes trataram do estreitamento das relações bilaterais e das relações do Brasil com a União Europeia

Congresso abre R$ 2,8 bilhões em créditos para Saúde e Desenvolvimento Regional

Congresso abre R$ 2,8 bilhões em créditos para Saúde e Desenvolvimento Regional

Oposição criticou e disse que texto serviria de arranjo para 'balcão de negócios' no Congresso. Projeto vai à sanção

Cotas em concursos públicos: Dino prorroga até Congresso aprovar nova lei

Cotas em concursos públicos: Dino prorroga até Congresso aprovar nova lei

Regra atual prevê 20% de vagas reservadas a candidatos negros em concursos; lei perderia validade em 10 de junho

Senado aprova criação do Programa Nacional de Vacinação em Escolas Públicas

Senado aprova criação do Programa Nacional de Vacinação em Escolas Públicas

O Senado aprovou, nesta terça-feira (21), um projeto que institui o Programa Nacional de Vacinação em Escolas Públicas de todo o país. Agora, a proposta

Entidade diz que 90% do PIB industrial do RS foi afetado por chuvas

Entidade diz que 90% do PIB industrial do RS foi afetado por chuvas

Uma comitiva de industriais gaúchos entregou nesta sexta-feira (17) ao vice-presidente Geraldo Alckmin (PSB) uma lista de pedidos do setor ao governo federal para enfrentamento

pt_BRPortuguese