Voltar ao Início

Você está em:

Lula busca apoio de governadores e religiosos para manter veto a PL da ‘saidinha’

Governo quer influenciar posição da bancada religiosa no Congresso e apelar para governadores sobre risco de crises
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) busca apoio de grupos evangélicos e católicos com atuação em presídios para tentar evitar a derrubada do veto presidencial ao projeto de lei que restringe as saídas temporadas de detentos em feriados.

A articulação envolve ainda governadores e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Lula fez um veto parcial, mas que atingiu um ponto crucial do texto: a proibição de que presos, durante a saída temporária, visitem suas famílias.

Ministros e parlamentares governistas vão procurar a Capelania Prisional, formada por evangélicos, e a Pastoral Carcerária, ligada à Igreja Católica. A aposta é que o apoio dessas entidades pode influenciar a posição da bancada religiosa no Congresso.

A articulação terá participação direta do ministro da Advocacia-Geral da União (AGU), Jorge Messias, que é evangélico e já atuou na Capelania Prisional. Messias tem sido um dos dos principais interlocutores do governo junto aos evangélicos.

Para buscar o apoio dos governadores e da OAB, os representantes do governo federal vão argumentar que a proibição da visita aos familiares tem potencial para provocar crises no sistema penitenciário e na segurança pública.

"Esse caldeirão vai explodir na mão deles. O governo federal só cuida de cinco penitenciárias", afirmou um auxiliar de Lula.

Lewandowski cita Cristo
Antes da publicação no Diário Oficial da União (DOU), o ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, afirmou em um pronunciamento que a proibição de visita às famílias dos presos que já se encontram no regime semiaberto "atenta contra valores fundamentais da Constituição" e "contra o princípio da dignidade da pessoa humana".

Lewandowski destacou, entre as justificativas para o veto de Lula a esse trecho, a importância da convivência com a família em datas especiais no processo de ressocialização, como Páscoa e Dia das Mães. "A família é importante do ponto de vista cristão", destacou o ministro.

Posts Relacionados

Governo é contra qualquer mudança na atual legislação do aborto, diz Padilha

Governo é contra qualquer mudança na atual legislação do aborto, diz Padilha

Ministras e ministros do governo Lula se posicionaram contra o projeto de lei que equipara o aborto ao crime de homicídio

Lula defende Haddad, ministro diz que fará revisão de gastos do governo

Lula defende Haddad, ministro diz que fará revisão de gastos do governo

Lula estremeceu o mercado ao enfatizar que não vai apartar agenda social de economia, e precisou defender o ministro

Lula critica ideia de ‘casas provisórias’ para atingidos por enchentes no RS

Lula critica ideia de ‘casas provisórias’ para atingidos por enchentes no RS

Governador do RS anunciou a construção de 500 moradias temporárias, de 27 metros quadrados cada

STF dá 10 dias para governo de SP explicar projeto das escolas cívico-militares

STF dá 10 dias para governo de SP explicar projeto das escolas cívico-militares

Projeto foi sancionado no final de abril por Tarcísio depois ser aprovado na Alesp sob forte protesto de estudantes

STF rejeita pedido para proibir parentes na chefia do Legislativo e Executivo ao mesmo tempo

STF rejeita pedido para proibir parentes na chefia do Legislativo e Executivo ao mesmo tempo

Cármen Lúcia defendeu que cabe ao Legislativo impor restrições a parentes chefiando cargos no mesmo estado

Lula diz que ‘muita gente fica com raiva’ diante de medidas de proteção ao meio ambiente

Lula diz que ‘muita gente fica com raiva’ diante de medidas de proteção ao meio ambiente

Ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, anunciou uma série de ações do governo para a área ambiental

Lula encontra Zoran Milanović e reafirma meta de desmatamento zero na Amazônia

Lula encontra Zoran Milanović e reafirma meta de desmatamento zero na Amazônia

Os líderes trataram do estreitamento das relações bilaterais e das relações do Brasil com a União Europeia

Congresso abre R$ 2,8 bilhões em créditos para Saúde e Desenvolvimento Regional

Congresso abre R$ 2,8 bilhões em créditos para Saúde e Desenvolvimento Regional

Oposição criticou e disse que texto serviria de arranjo para 'balcão de negócios' no Congresso. Projeto vai à sanção

pt_BRPortuguese